Foto: Arquivo JeffersonJefferson Lima, secretário nacional da Juventude do PT (JPT), traz boas novas. Ele esteve no 14º Conselho Nacional de Entidades de Base (CONEB) da UNE, realizado no inicio de janeiro em Recife, e contou que a jornada de lutas neste 2013 será unificada. Entidades que lutam pela pauta da juventude juntarão esforços e vão fomentar uma série de atividades em todo o país. A primeira está marcada para o próximo dia 23.02, com uma plenária nacional em São Paulo. Confiram a entrevista e não deixem de acompanhar e prestigiar esta luta fundamental dos nossos jovens.

Jefferson, qual a agenda da juventude em 2013?

[ Jefferson Lima ] Diversos movimentos de juventude se reuniram no final do ano passado e decidiram que 2013 é um ano de muita mobilização social. Ano em que podemos avançar na pauta política para termos um Congresso Nacional cada vez mais democrático e com maior participação popular. Outra pauta é a democratização dos meios de comunicação. Não aceitamos o monopólio da comunicação brasileira e que o setor permaneça nas mãos de pequenos grupos.

Queremos avanços na lei para termos meios de comunicação plurais, realmente democráticos e capazes de dar conta da diversidade da população brasileira.

Temos a bandeira por mais empregos para a nossa juventude e pela universalização da educação, com mais qualidade. Queremos avançar na proposta dos 10% do PIB e dos royalties do petróleo para a educação. Só assim teremos um investimento de fato para transformarmos esta área. Outro tema fundamental nesta jornada é a questão do extermínio da juventude brasileira, principalmente nas capitais. As taxas de homicídios da juventude, sobretudo de jovens negros e pobres, são inadimissíveis. Hoje, de cada 3 homicídios no Brasil, dois atingem jovens. Lutamos por uma política de segurança, de investimentos sociais e por mais políticas públicas destinadas à juventude.

É evidente que avançamos nos últimos anos. Mas precisamos caminhar muito mais. Neste sentido, 2013 será um ano de intensa mobilização e acredito que temos todas as condições de conquistarmos vitórias significativas.

Você participou do CONEB, o que foi discutido por lá?

[ Jefferson Lima ] A UNE mobilizou mais de quatro mil estudantes de todo o Brasil no seu último Congresso. As discussões giraram em torno de vários temas. Destaco a questão da reforma universitária, da destinação dos royalties do petróleo e dos 10% do PIB para a educação. Foram discutidos também o Plano Nacional de Educação (PNE) e a participação estudantil; além do novo modelo do ensino médio brasileiro. O ministro Aloizio Mercadante (Educação) participou do CONEB. Ele reforçou a necessidade da reforma universitária, defendeu as cotas nas universidades e pediu a mobilização dos jovens em prol da aprovação dos 10% do PIB para a educação. Falou também sobre a reivindicação histórica do movimento estudantil: a substituição do vestibular por um outro modelo. Mercadante reforçou o papel do ENEM neste sentido e explicou para os estudantes o novo ENEM, além de reforçar a importância das cotas nas universidades.

O CONEB foi muito bom. Mobilizou as bases, diretórios e centros acadêmicos de todos os estados brasileiros. Nós, da JPT, também participamos.

E a jornada de lutas?

[ Jefferson Lima ] A jornada de lutas do movimento estudantil não será apenas do movimento estudantil ou da juventude partidária. Neste ano, vamos fazer uma jornada unificada que será lançada agora no dia 23.02 em São Paulo. Ela está sendo puxada pela UNE, UBEs, JPT, UJS, juventude do MST, da CUT, da CTB e de diversos outros movimentos que lutam pelos jovens brasileiros. A jornada terá quatro eixos centrais: educação e trabalho decente, democratização dos meios de comunicação, reforma política e luta contra o extermínio da juventude. Vamos começar com esta plenária nacional no dia 23.02. E vamos para os Estados também, estamos estudando agora uma agenda. Em breve trago mais notícias das mobilizações.

Texto: Reprodução
Foto: Arquivo pessoal Jefferson Lima

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar